quarta-feira, 26 de março de 2014

Imagens fortíssimas chocam o Pará, detento é assassinado a golpes de estoque e tudo foi filmado

Ainda repercute o assassinato de um detento dentro do Presídio Estadual Metropolitano I (PEM I), de Marituba, no último dia 10 de março. Toda a cena foi gravada por celulares de, pelo menos, dois detentos. 

O vídeo que mostra os últimos minutos de vida de Dirceu Pimentel Brasil, 33, chegou às redes sociais e foi obtido pelo DOL.
O vídeo, além da violência e sangue frio de seus executores e registradores, revela a fragilidade do sistema prisional do Pará. O detento é assassinado a estocadas, sob às vistas de três outros presos, que documentaram toda a ação com celulares de boa qualidade. E ao que tudo indica, na mesma hora informando ao mandante que a tarefa estava executada.
O detento é assassinado sob às vistas de outros presos que documentaram tudo em vídeo. (Foto: Reprodução)
O vídeo difundido nas redes sociais foi enviado de dentro da cadeia. Na cena do crime aparecem, pelo menos, dois celulares gravando toda a ação criminosa. O assassino armado com um estoque é avisado por um comparsa para esperar um pouco: “pera aí que eu vou ligar o flash”, referindo-se ao flash do aparelho celular que ilumina o “documentário macabro” dentro do PEM I.
ASSISTA AO VÍDEO ABAIXO. ATENÇÃO! CENAS EXTREMAMENTE FORTES. http://www.diarioonline.com.br/noticias/policia/noticia-279296-.html
Na sequência, o homem que aplica as estocadas na vítima repete: “Coloca o pano na cabeça dele. Coloca o pano na cabeça dele. Coloca o pano na cabeça dele”, concluindo o ato quando a vítima já sem forças ainda tem tempo de ouvir as recomendações. “Tu vais saber, irmão, o bagulho certo, não esquenta quem fez o bagulho errado.”
É possível também ouvir a voz de outro criminoso. “Bota o cara na linha. Liga naquele número”, o que se supõe seria para avisar o mandante que o crime estava consumado e ainda poder ouvir os últimos suspiros do detento agonizando.

Também é possível ouvir um nome citado na conversa depois do crime. Um dos colegas de cela fala em “Edmar” e logo depois o vídeo é encerrado com a imagem da vítima.
Para Polícia, crime foi encomendado
O detento executado dentro do PEM I de Marituba é Dirceu Pimentel Brasil, 33 anos. Segundo o inquérito aberto para investigar o caso, a Polícia Civil está tratando como um crime de encomenda associado ao tráfico de drogas, com as investigações correndo sob sigilo.
Em nota, a Superintendência do Sistema Penal do Pará (Susipe) garante que as providências para a punição dos envolvidos na morte Dirceu foram tomadas logo após o crime, e que o vídeo difundido nas redes sociais que mostra imagens da morte do interno já foi encaminhado para perícia.
Diante da gravidade do caso, corregedoria da Susipe abriu também um Procedimento Administrativo (PAD) para apurar se houve conivência ou negligência de servidores para a entrada do celular no presídio, bem como o estoque e as pessoas que estavam no local na hora do crime.

(DOL com informações de JR Avelar)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se identifique e deixe seu comentário com responsabilidade!!!