sábado, 16 de maio de 2015

Professora é agredida por vereador em Medicilândia

Indignados com a falta de atenção por parte do Governo Municipal e pelo descaso da Câmara de Vereadores, os professores de Medicilândia fizeram mais um manifesto na frente da câmara na manhã de quinta-feira (14).

A manifestação era contra a votação do Projeto de Lei do Executivo, mas os professores foram impedidos de entrar no prédio e os vereadores realizaram a sessão com as portas fechadas e com a guarda da polícia que fez a segurança na porta da Casa de Leis. Sem poder entrar para acompanhar a sessão, eles continuaram na frente da câmara com um som ligado e sintonizado em uma rádio local que transmite a sessão em forma de protesto. Para manter a ordem, a segurança e a integridade física das partes, os policiais isolaram a rua enquanto os professores gritavam palavras de ordem. Após algum tempo de terminada a sessão, alguns vereadores deixaram a câmara escoltados pela polícia, e na saída, eles foram vaiados pelos manifestantes. Nesse cenário, o vereador Tião Leite do PSB agrediu a professora Marines Amaral. A professora foi à delegacia e registrou BO contra o vereador que deverá comparecer à delegacia para prestar esclarecimentos. O coordenador do Sintepp, Valtair Dolchar, disse que todos os argumentos já foram colocados pela categoria, mas até agora o governo não responde de forma positiva. Segundo ele, Medicilândia tem o salário mais defasado da região transamazônica. O plano de cargo e carreira que desde o ano passado tem sido conversado com os representantes do governo municipal, também está na pauta de reivindicação.

Fonte: Blog Uruará em Ação

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se identifique e deixe seu comentário com responsabilidade!!!