terça-feira, 17 de novembro de 2015

Militares são vítimas de roubo e dois são presos em Belém

Militares são vítimas de roubo e dois são presos (Foto: Ney Marcondes)
O diretor de Pessoal da Polícia Militar, coronel Dilson Barbosa Soares Júnior e o sargento Cláudio Holanda foram assaltados no momento em que estacionavam o carro na passagem Stélio Maroja, bairro do Barreiro, próximo a Ponte do Galo para pedir informação a populares.
A Polícia Militar em conjunto com Polícia Civil, Ronda Ostensiva Tático Móvel (Rotan) e Polícia Rodoviária Estadual, conseguiu prender 2 homens, que foram reconhecidos pelos militares e levados para a Seccional da Sacramenta. O crime aconteceu menos de 48 horas após o assassinato do soldado PM Victor Hugo França Maia, de 25 anos, morto com um tiro no peito na noite de sábado (14), no bairro Jiboia Branca, em Ananindeua, após uma tentativa de assalto. A sequência de ataques comprova que nem mesmo policiais militares escapam de bandidos, em Belém e em todo o estado do Pará.

Denis Pinheiro Barreto e Eliseu Reis do Rosário, ambos de 19 anos, abordaram o veículo particular em que estavam os militares. O coronel Dilson explicou que estava a caminho da Auditoria Militar onde é diretor de Pessoal, mas a Rodovia Arthur Bernardes estava congestionada. Ele e o sargento Holanda, que dirigia o carro, mudaram de rota e já próximo à feira da Ponte do Galo tiveram que pedir informação a populares, quando foram abordados. 

“O Elizeu estava com a arma apontada na direção do sargento e o outro já estava pelo lado atrás do poste. Nesse momento, ele me pegou e já desci do carro”, informou o oficial da Polícia Militar.  O sargento Holanda era o único que estava armado, mas não reagiu para evitar que alguém fosse ferido. A arma dele de calibre Ponto 40 foi roubada. “O Elizeu colocou a arma na minha cabeça, usou o velho jargão “perdeu! perdeu!’ e nos ameaçou de morte”, informou o sargento Holanda, que ainda teve uma pochete de medicamentos para hipertensão roubada, além de uma pasta de documentos. 

Logo após o assalto, a travessa Barão do Triunfo, esquina com o Canal São Joaquim, ficou tomada por viaturas. Quem precisava acessar a via de carro ou moto era obrigado a voltar. Às 11h30, Denys e Elizeu foram detidos dentro de suas casas, localizadas na passagem Santa Rosa com Barão do Triunfo e Barão do Triunfo com o Canal São Joaquim, respectivamente. 

Ambos foram reconhecidos pelos militares, mas a arma do sargento Holanda não estava com os homens. Para a polícia, eles alegaram que, durante a fuga, a arma foi entregue a um terceiro comparsa, ainda não identificado. “Quando pegamos o Elizeu, ele entregou o Denys e falou que a arma foi repassada ao terceiro assaltante”, disse o sargento Oliveira, da Rotan. 

Elizeu utilizava uma tornozeleira eletrônica do Sistema Penitenciário. Enquanto isso, a mãe de Denys defendeu o filho e afirmou que ele não havia saído de casa na manhã de ontem. “Ele já esteve preso, 2 vezes. Não tenho porque mentir. Se ele tivesse saído eu não estaria mentindo porque não aceito isso”, declarou Mara Pinheiro.

(Emily Beckman/Diário do Pará)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se identifique e deixe seu comentário com responsabilidade!!!