sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Polícia suspeita que vigilante achado morto na Ufopa foi vítima de latrocínio

morto tiro ufopa (Foto: Reprodução/TV Tapajós)
A Polícia Civil acredita que o vigilante Carlos Viegas, de 29 anos, encontrado morto no campus Tapajós, da Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA),
na manhã desta sexta-feira (20), em Santarém, pode ter sido vítima de latrocínio, que é o roubo seguido de morte. A informação foi dada a TV Tapajós, pelo delegado da Divisão de Homicídios da PC, Germano do Vale. De acordo com o delegado, o fato da arma da vítima não ter sido encontrada no local leva a polícia a trabalhar inicialmente com esta linha de investigação. "O vigilante trabalha aqui portando arma de fogo, então a arma foi subtraída, ficou só o coldre, então num primeiro momento podemos dizer sim que pode ter sido um latrocínio. Não sabemos dizer se foi com a própria arma que ele foi alvejado ou com outra", informou Do Vale.
morto tiro ufopa (Foto: Reprodução/TV Tapajós)
Ainda segundo a polícia, na avaliação preliminar, foi constatado apenas um disparo na cabeça do vigilante, porém, ainda não se pode afirmar que essa foi a causa da morte. A motocicleta da vítima não foi levada do local. "Por parte da Polícia Civil foi feito um já um levantamento preliminar, e agora, junto com os investigadores, colher essas informações para que a gente possa dar essa resposta do que aconteceu no menor espaço de tempo possível”.
Vigilante Carlos Viegas, de 29 anos (Foto: Arquivo Pessoal)
O vigilante trabalha aqui portando arma de fogo, então a arma foi subtraída, ficou só o coldre, então num primeiro momento podemos dizer sim que pode ter sido um latrocínio"
delegado de Polícia Civil, Germano do Vale

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se identifique e deixe seu comentário com responsabilidade!!!