quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Projeto capacita detentos de Itaituba com reciclagem de pet para decoração natalina

Mais de 4 mil garrafas pet foram reutilizadas na 5ª edição do projeto “Reciclar para Ressocializar”, realizado no Centro de Recuperação Regional de Itaituba (CRRI). Ao todo, 19 internos, do regime semiaberto, participam da iniciativa, que além de criar conscientização ambiental, também promove a ornamentação da cidade durante o natal com objetos decorativos de pet. Iniciado em 2012, o projeto fazia a reutilização apenas de papeis e papelões. Atualmente, a iniciativa já realiza a reciclagem de garrafas e pneus, transformando os materiais que seriam jogados no lixo em objetos de decoração e móveis. Para o natal, o grupo confecciona árvores, bonecos de neve, cogumelos, caixa de presentes, papai noel, velas, estrelas e uma casa do papai noel, tudo com material reciclado. A produção poderá ser conferida a partir de hoje (30), na orla de Itatituba, onde ficará em exposição durante todo o mês de dezembro.
“O projeto cresceu muito ao longo das edições, começamos com apenas dez internos trabalhando e hoje temos 19. No início eram produzidos em torno de cinco peças para a exposição natalina, agora são mais de 13 peças e a cada ano aumenta a expectativa da comunidade para ver a cidade mais bonita no natal”, contou a vice-diretora do CRRI e idealizadora do projeto, Alnecy Lopes. Além de despertar o potencial artístico dos internos, aqueles que participam são qualificados e certificados através do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), o que gera remissão de pena pelo trabalho e estudo, como determinado pela Lei de Execuções Penais (LEP).
“A técnica é fácil de aprender, então o interno não necessariamente precisa conhecer o trabalho manual e artesanal, basta ter vontade. Começo a ensinar pelo corte, em seguida vem a montagem e por último a pintura e o acabamento. Os objetos são criados muitas vezes em parceria com os próprios internos que demonstram muita criatividade”, afirmou a instrutora do Senar, Sirleia Ferraz. Para participar do projeto os detentos precisam estar no regime semiaberto, ter bom comportamento na unidade prisional e principalmente ter interesse aprender a atividade. A confecção começa com quase dois meses de antecedência e todo o material reciclado é captado através da associação de materiais reciclados e distribuidores de bebidas do município.
O interno Rayson Ferraz, que pela primeira vez participa do projeto, contou que nunca havia realizado trabalho artesanal. “No início eu senti um pouco de dificuldade, porque nunca tinha feito trabalho manual, mas aos poucos fui pegando o jeito. Estou feliz em participar desse projeto, aqui eu percebi que se cada um fizer a sua parte da para reutilizar e transformar o que seria lixo, não teria tanta sujeira na nossa cidade. Eu sinto que estou contribuindo para o meio ambiente e fazendo a minha parte”, afirmou.
Em visita a unidade prisional o titular da Susipe, Cel. André Cunha, parabenizou a ação. “É a primeira vez que vemos um projeto promove a decoração natalina de uma cidade com materiais produzidos por internos, confeccionados dentro de uma unidade prisional, e ainda envolvendo a reciclagem. São vários benefícios do projeto: a reciclagem em si, o aumento da autoestima do preso que vai ter seu trabalho exposto e o embelezamento da cidade. É um trabalho que promove a integração da unidade prisional com a própria comunidade onde ela está inserida”, apontou.
Laís Menezes/ Thiago Gomes (Ascom/ Susipe)
Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se identifique e deixe seu comentário com responsabilidade!!!