terça-feira, 28 de junho de 2016

Jobson divide cela com 10 presos no interior do Pará

A Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe) informou ontem que ainda não recebeu da Polícia Civil pedido de transferência do ex-jogador de futebol Jobson, que está detido na carceragem de Conceição do Araguaia após ter sido preso por suspeita de estupro na quinta-feira (23).


De acordo com a Polícia Civil, o ex-atleta do Botafogo está em uma cela comum, dividindo o espaço com pelo menos outros 10 presos provisórios. Ele fez exame de corpo de delito no Hospital Regional de Conceição do Araguaia, e permanece no município até ser transferido para um presídio da Susipe, o que segundo a polícia deve ocorrer até a próxima segunda-feira.  Até ontem, à noite, entretanto, a Susipe informou que pedido para a transferência do jogador não havia sido protocolado. De acordo com a Superintendência, caso a transferência seja solicitada o provável destino do suspeito será a cidade de Marabá, no sudeste do Pará. 

 A ex-mulher de Jobson, Thayane Freitas, teme que a prisão do jogador possa trazer problemas para o filho do casal, que mora com a mãe no Distrito Federal. Em entrevista, Thayane disse que deve manter o menino de 6 anos afastado da escola nos próximos dias. “Eu estava no trabalho quando me avisaram da história (prisão). É um baque, né? Temos um filho de seis anos e ele não entende muito bem isso. Tenho medo que o meu filho sofra algum abuso, porque acusar o pai dele de estupro é algo muito forte”, afirma. “Não sei o que vai acontecer (com o filho). As pessoas são ruins e não sei o que vão falar para ele”.

Segundo nota divulgada pela assessoria da Polícia Civil do Pará, o inquérito policial foi instaurado há uma semana, depois que uma das vítimas, uma garota de 13 anos, denunciou que fotos suas em situações pornográficas estavam circulando em grupos de rede social. Ainda segundo a vítima, o jogador teria aliciado a menor em Conceição do Araguaia para levá-la até sua chácara, no Tocantins, juntamente com outras três adolescentes. Lá, as vítimas teriam sido embriagadas e entorpecidas para, em seguida, serem abusadas sexualmente.

Ainda de acordo com as denúncias, uma das menores chegou a telefonar para o jogador, dizendo que iria denunciá-lo, e ele, em seguida, teria feito ameaças à garota. Jobson também é suspeito de um quinto caso de estupro, que ainda está sendo investigado pela polícia.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se identifique e deixe seu comentário com responsabilidade!!!