quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Jacareacanga tem a 2ª melhor gestão de acordo com o Índice FIRJAN de Gestão Fiscal (IFGF)

O município de Jacareacanga, localizado no sudoeste do estado do Pará, foi considerado pelo Índice FIRJAN de Gestão Fiscal (IFGF) como tendo a 2ª melhor gestão do Estado, ocupando a (190°) posição no ranking nacional, com mais de 4 mil municípios.

É o resultado de um Governo sério e comprometido. O município de Jacareacanga vem sendo administrado com seriedade e respeitando as leis para a justa aplicação do dinheiro publico em benefícios aos moradores da cidade e do interior. O prefeito do município; Raulein de Olveira Queiroz esta em seu terceiro mandato, foi o primeiro prefeito quando o município foi emancipado e esta com dois mandatos consecutivo, e vem fazendo um bom trabalho, hoje a aprovação de seu governo chegar a cerca de 80%. 

O prefeito tem valorizado os votos recebidos da população de Jacareacanga, vem investindo constantemente em diversas áreas, como saúde, educação, infraestrutura, entre outras, e de fato e de direito aplicando o dinheiro publico. Raulien Queiroz deixara a prefeitura em dezembro de 2016, mas deixara na certeza de ter feiro uma excelente administração. 

Para a eleição deste ano, 06 pessoas registraram suas candidaturas para disputar a prefeitura de Jacareacanga, alguns estão com problemas na justiça eleitoral, e poderão ter problemas com seus registros. O vereador e ex-presidente da câmara municipal; Jenson Mourão é um dos candidatos que esta na disputa pela prefeitura, e conta com o apoio do atual prefeito Raulien Queiroz, que acreditou em suas propostas e que ser for eleito dará continuidade aos trabalhos da atual gestão. 

Índice FIRJAN de Gestão Fiscal (IFGF)

Para contribuir com uma gestão pública eficiente e democrática, o Sistema FIRJAN desenvolveu o Índice FIRJAN de Gestão Fiscal (IFGF). Uma ferramenta de controle social que tem como objetivo estimular a cultura da responsabilidade administrativa, possibilitando maior aprimoramento da gestão fiscal dos municípios, bem como o aperfeiçoamento das decisões dos gestores públicos quanto à alocação dos recursos. Lançado em 2012, o IFGF traz o debate sobre um tema de grande importância para o país: a forma como os tributos pagos pela sociedade são administrados pelas prefeituras. 

O índice é construído a partir dos resultados fiscais das próprias prefeituras – informações de declaração obrigatória e disponibilizadas anualmente pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN). Com base nesses dados oficiais, o Índice FIRJAN de Gestão Fiscal 2016 – ano de referência 2015 - avaliou a situação fiscal de 4.688 municípios, onde vivem 180.124.602 pessoas – 89,4% da população brasileira. Apesar da determinação da lei, os dados do exercício fiscal 2015 de 880 prefeituras não estavam disponíveis ou não eram consistentes (informações que não foram passíveis de análise).

Leitura do IFGF: Composto por cinco indicadores – Receita Própria, Gastos com Pessoal, Investimentos, Liquidez e Custo da Dívida –, o IFGF tem uma metodologia que permite tanto comparação relativa quanto absoluta, isto é, o índice não se restringe a uma fotografia anual, podendo ser comparado ao longo dos anos. Dessa forma, é possível especificar, com precisão, se uma melhoria relativa de posição em um ranking se deve a fatores específicos de um determinado município ou à piora relativa dos demais. Metodologia: O IFGF tem uma leitura dos resultados bastante simples: a pontuação varia entre 0 e 1, sendo que, quanto mais próximo de 1, melhor a gestão fiscal do município no ano em observação.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se identifique e deixe seu comentário com responsabilidade!!!