segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Mais de 10 mil candidatos prestam concurso para delegado da Polícia Civil

Candidatos de todo o Brasil prestaram concurso público para o cargo de delegado da Polícia Civil do Pará, realizado na manhã deste domingo (25) em quatro municípios: Belém, Marabá, Santarém e Altamira.
O certame foi organizado pela Fundação Professor Carlos Augusto Bittencourt (Funcab). A corporação oferece salário de R$ 12.250,00, com acréscimo de auxílio alimentação no valor de R$ 650,00. Para prestar os exames, é exigido dos candidatos o bacharelado em Direito.

Foram registrados 14.508 inscritos, que concorrem a 150 vagas. De acordo com a Secretaria de Estado de Administração (Sead) foram contabilizadas 3.752 faltas, 25,4% do total de concorrentes. A cidade com maior número de faltosos foi Belém, com 2.601, seguida de Marabá (794), Santarém (315) e Altamira (42). Além das provas objetivas e discursivas aplicadas neste domingo, os candidatos ainda serão submetidos às etapas de capacitação física, exame médico, psicológico, investigação criminal e social e curso de formação. A divulgação do resultado final está prevista para março de 2017.

Com a realização deste concurso, o efetivo da segurança pública no Pará somará mais 3.174 novos postos em cargos de nível médio e superior. Este número é referente à somatória das vagas ofertadas pelos concursos do Corpo de Bombeiros do Pará (CBMPA), que está em fase final, e da Polícia Militar do Estado, que realizou provas em julho deste ano.

Aprovado em dois concursos públicos, Benedito Pessoa de Castro Júnior, 25, veio de Teresina (PI) em busca da terceira conquista. Para alcançar esse desempenho, ele dedica, em média, cinco horas por dia aos estudos. ‘’Disciplina faz toda a diferença. Já fui aprovado nos concursos do Ministério Público do Piauí e da Polícia Rodoviária Federal, e isso só foi possível com foco. Procuro garantir o melhor desempenho possível nos concursos para essa área”, conta. Ele destaca que o preparo emocional é fundamental. ‘’É preciso estar tranquilo. Não adianta estudar e não confiar. Manter a calma corresponde a 50% do percurso”.

Diferente de Benedito, Danielle Fernanda Mendonça, 23, veio de Cuiabá (MT) para prestar, pela primeira vez, um concurso público. Aluna de um cursinho na capital mato-grossense, a candidata, que se formou em Direito em janeiro deste ano, conta que está em Belém desde a sexta-feira (23) para se concentrar. “Venho me preparando há dois meses. Essa é a minha primeira experiência com concursos públicos. Enquanto presto esse exame, aguardo o resultado da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil)”, revela.

Marabá registra mais de 30% de faltosos: Em Marabá, sudeste do estado, 794 candidatos faltaram à prova do concurso para delegado da Polícia Civil na manhã deste domingo (25), o equivalente a 32% do total de inscritos no município. Os exames foram aplicados em nove escolas nos principais núcleos da cidade: Marabá Pioneira, Cidade Nova e Nova Marabá.

A Polícia Militar garantiu apoio durante a entrega dos cadernos com as questões nas escolas e o policiamento às proximidades dos locais de prova. Investigadores, escrivães e delegados também participaram do esquema de segurança do certame. Ao todo, 39 armas foram acauteladas em Marabá.

O concurso teve a participação de vários candidatos de outros estados. Marcília Cardoso veio da cidade de Divinópolis, no Tocantins, para fazer a prova na escola Acy Barros, no bairro do Amapá. Segundo ela, o nível de elaboração das questões superou as expectativas. “A prova estava bem elaborada, mas cansativa e com um nível de exigência mais difícil do que eu esperava”, contou a candidata, que há um ano vem se preparando para o concurso. A maratona de estudos durava, em média, cinco horas por dia e custou a abdicação de muitas programações com a família e amigos para manter o foco. “Passar nesse concurso significa uma realização pessoal muito grande, um objetivo alcançado depois de muito esforço”, completou.

Provas tranquilas em Santarém: Em Santarém, um esquema rigoroso de segurança garantiu a tranquilidade do concurso. Os locais de prova foram monitorados por homens das Polícias Civil e Militar. O município registrou 1.277 inscritos no exame, sendo que desse total 723 não compareceram ao exame. Os candidatos realizaram a prova em 33 salas do Anexo e dos Campus Amazônia e Rondon da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa). Todos passaram por detectores de metais, coleta de impressões digitais, além do acautelamento de armas.

“Foi tudo tranquilo. Não tivemos qualquer anormalidade. Pela manhã foram acauteladas 15 armas e pela tarde outras 13”, informou a delegada Marlise Tourão, da coordenação do concurso.

O bacharel em Direito Marco Polo Amorim saiu satisfeito da prova. Pai de dois filhos, ele vê no concurso a oportunidade de se estabilizar e garantir uma carreira sólida dentro do funcionalismo público. "Gostei bastante da prova, mas vamos esperar o resultado. Ser delegado é um sonho que eu pretendo realizar e hoje pude dar um passo importante nessa direção”, comentou.

Primeira etapa: No último dia 11 foi aplicada a prova para os cargos de escrivão, investigador e papiloscopista. No total, 22.602 candidatos concorreram a 500 vagas distribuídas nos quatro municípios. Dos 27.651 inscritos, 5049 não compareceram ao exame, o que corresponde a 18,25% do total de candidatos.

(Com colaboração de Aretha Fernandes, Alailson Muniz e Sérgio Moraes)
Por Governo do Estado do Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se identifique e deixe seu comentário com responsabilidade!!!