segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Polícia descarta que assalto a casa de candidato foi por questões políticas

A Polícia Civil descartou a hipótese do assalto que aconteceu na manhã do domingo (25) na casa do candidato ao cargo de prefeito de Mojuí dos Campos , Raimundo Dadá, estivesse ligado a questões políticas.
De acordo como delegado da Polícia Civil, Jamil Casseb, todos os envolvidos no crime são membros de uma quadrilha altamente estruturada e perigosa que atua em assaltos em Santarém região.“Eles vêm atuando na cidade há vários dias, sendo que a atuação deles é mais na área da Rodovia Curuá-Una - fizeram dois assaltos, um na comunidade Jacamim e outro na comunidade Perema, sempre com essas características, requintes de muita perversidade, muita violência e contam com o apoio de pessoas aqui dentro[[da cidade], são várias ramificações que existem. Uma parte dessa quadrilha foi presa semana passada e mais dois caíram”, contou Casseb. Dois suspeitos de participação no assalto, que não estavam dentro da casa mas deram apoio no crime já foram identificados. A Polícia Civil continua as buscas pelos suspeitos na tentativa de localizá-los e capturá-los.
Movimentação de moradores no momento do assalto (Foto: Jampiere Martins/TV Tapajós)
O Crime: Na manhã de domingo (25), uma funcionária, um vereador e um amigo deles foram abordados por uma dupla de assaltantes na loja do candidato a prefeito. Armados, os criminosos renderam as vítimas e invadiram a casa do candidato que fica nos altos do estabelecimento comercial fazendo ele e a família também de reféns. Enquanto a dupla agia na casa, dois comparsas davam apoio do lado de fora. (Confira como foi a negocição no vídeo). A Polícia Militar de Mojuí foi acionada e pediu apoio de policiais de Santarém. Um dos assaltantes chegou a efetuar um disparo com a intenção de dispersar a polícia e populares que se aglomeravam no local. Os criminosos exigiram coletes à prova de balas e a presença da imprensa. 
Adolescente de 16 anos e jovem de 22 foram levados a delegacia  (Foto: Dominique Cavaleiro/Globoesporte.com)
Após pouco mais de uma hora de negociações, mediadas pelo tenente-coronel André Carlos, a dupla jogou as armas, liberou os reféns e se entregou. Orlando Costa de 22 anos foi preso e um adolescente de 16 anos foi apreendido. A dupla foi levada para a 16ª Seccional de Polícia Civil de Santarém. Orlando foi encaminhado para a central de triagem da Penitenciária Sílvio Hall de Moura. O adolescente foi ouvido e o caso encaminhado ao Mistério Público, que vai ou não acatar o pedido de internação provisória até a conclusão do inquérito.
Polícia Militar durante negociações (Foto: Jampiere Martins/TV Tapajós)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se identifique e deixe seu comentário com responsabilidade!!!