segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Serviço de inteligência da Susipe recebe denúncias através do Whatsapp

Aplicativo de mensagens instantâneas mais usado no Brasil, o Whatsapp é também uma ferramenta muito importante no trabalho da Assessoria de Segurança Institucional (ASI) da Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe).
Desde janeiro de 2015, a ferramenta vem sendo usada pelo Serviço de Inteligência da Susipe para receber denúncias em um canal aberto com a população paraense, 24 horas por dia. Com a ajuda das informações enviadas pelo aplicativo, a ASI já conseguiu evitar, somente este ano, nove casos de tentativas de fuga e resgate, recapturar sete foragidos do sistema penitenciário e coibir a entrada e até apreensão de aparelhos celulares nas unidades prisionais. A participação da comunidade contribuiu, muitas vezes, para a confirmação de situações que já estão em investigação pela equipe da Susipe.

“Assim que recebemos os dados repassados pelo denunciante, um profissional do Setor de Inteligência faz a primeira análise e, em seguida, repassa a informação à central para uma última avaliação. Sempre comparamos as denúncias com as informações já disponíveis na ASI. Após a confirmação, total ou parcial, da denúncia, enviamos as informações para órgão e setores responsáveis, dependendo de cada caso, como as polícias Civil e Militar, Ciop, Secretaria de Inteligência e Análise Criminal da Segup e o Núcleo de Inteligência da Policia Civil”, explica o diretor da ASI, major Wendel Gomes.

É recebida a média de 16 denúncias por mês. Onze profissionais da ASI trabalham no recebimento das informações todos os dias. Qualquer pessoa pode fazer denúncia pelo telefone (91) 98814-1218, pelo Whatsapp e também via SMS. O sigilo é garantido e todas as identidades são preservadas.

“Por parte da Susipe há grande preocupação em manter o sigilo sobre a fonte para que haja cada vez mais fluxo de informações com qualidade e segurança, para ambas as partes. No que diz respeito às denúncias via Whatsapp e SMS o sistema, em momento algum, solicita informações sobre a identidade do denunciante ou provas acerca da denuncia, mesmo que haja diálogo entre as partes com o intuito de melhor esclarecer o assunto”, afirma o major Wendel Gomes.

Com a ajuda da tecnologia, o trabalho do Setor de Inteligência fica mais prático e rápido, permitindo investigações mais seguras e eficientes. As denuncias possibilitam, ainda, a geração de banco de dados, o que permite a identificação de grupos criminosos ou modos operandis, a partir das informações repassadas e fatos determinados.

“Ressaltamos que o número para que sejam feitas as denúncias, (91) 98814-1218, serve não somente para denuncias de presos foragidos, mas também para que sejam repassados dados  gerais sobre irregularidades ou potenciais atos delituosos em ambiente penitenciário, como planos de fuga e resgate e atos irregulares cometidos por servidores, entre outros”, conclui o diretor.

Fonte: Timóteo Lopes- Agencia Pará 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se identifique e deixe seu comentário com responsabilidade!!!