sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Crime não tem idade: Idosa de 78 anos é presa por estelionato

Um homem e uma idosa de 78 anos foram presos, ontem (15), por falsificação de documentos públicos e estelionato.
Fredson da Costa Tavares, 38, e uma mulher que se apresentou à Polícia Civil como Maria Conceição Ferreira, tentavam abrir uma conta em um banco federal, no bairro do Umarizal, utilizando documentos falsos. O mentor do esquema foi Fredson, que prometeu pagar R$ 300 à idosa para participar da fraude.  Em troca, ele iria se beneficiar de um cartão de crédito que iria adquirir a partir da conta. Porém, os planos dos dois foram interrompidos por funcionários da agência, que desconfiaram da legitimidade do comprovante de renda (no valor de R$ 5 mil) e da Carteira de Identidade apresentada pela idosa. A polícia foi acionada e o esquema descoberto.

A polícia ainda investiga se o nome da idosa é mesmo Maria Conceição, pois ela pode ter apresentado um nome falso. O caso foi registrado na Divisão de Investigações e Operações Especiais (Dioe) e será investigado pelo delegado Aurélio Paiva, que já indiciou os dois acusados.

Esta não é a primeira vez que Fredson é preso por crime de estelionato. Em 2006, ele chegou a ser preso, junto com outros dois homens, por aplicar golpe. Respondeu a processo e depois conseguiu a liberdade. Na Dioe, ele também informou que há 2 anos foi preso em Santa Izabel do Pará, Região Metropolitana de Belém, também por tentar aplicar o mesmo golpe que aplicaria ontem (15), só que numa agência de outra rede bancária. Chegou a ficar preso durante uma semana e depois foi solto.

Fredson e a idosa são vizinhos, moram no conjunto Jardim Sevilha, no bairro do Parque Verde, em Belém. Ele foi quem aliciou a mulher, que concordou participar do golpe de estelionato.

Um funcionário do banco, que não pôde ser identificado, disse que os acusados tentavam abrir a conta há duas semanas. A idosa se apresentou com um RG no nome de Marlene Silva de Moraes. Desconfiados sobre os documentos falsos, os funcionários acionaram a polícia, que acabou confirmando a fraude. “Esses dias todos eles têm telefonado para agência para saber se a conta estava aberta”, ressaltou o funcionário do banco. “Eles chegavam juntos, mas só ela é quem falava com a atendente. Na agência, ele ia para um lado e ela para outro”, acrescentou.

No porta cédulas onde estava a Carteira de Identidade de Fredson, a polícia encontrou duas cédulas de RG em branco – provavelmente que seriam usadas futuramente para outros golpes. “Os dois estão sendo indiciados por falsificação de documentos públicos e por crime de estelionato”, frisou o delegado Aurélio. “Nós ainda iremos confirmar se o nome da idosa é mesmo Maria Conceição Ferreira. Pediremos que o papiloscopista verifique as impressões digitais dela”, destacou o delegado.

Ela foi encaminhada para o Centro de Recuperação Feminino (CRF) e Fredson para outra casa penal. A advogada dos dois não quis dar entrevistas e também não autorizou eles a conversarem com a reportagem. Disse apenas que o caso ainda estava em fase de investigação.

Fonte: (Denilson D´Almeida/Diário do Pará) 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se identifique e deixe seu comentário com responsabilidade!!!