quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Indígena itaitubense, Alessandra Korap Munduruku, participou do lançamento do filme Belo Monte, em Brasília - DF

Alessandra mora na aldeia Praia do Índio em Itaituba, oeste paraense, uma das duas aldeias localizaras na zona urbana da cidade de Itaituba.
A Usina de Belo Monte foi construída ao longo do leito do Rio Xingu, na região norte do país, próxima à cidade de Altamira (PA), uma obra de cerca de R$ 25 Bilhões. Sua construção envolveu a elaboração de três sítios: Belo Monte, Bela Vista e Pimental. No sítio Pimental, foram implantados o vertedouro e o barramento, no sítio Belo Monte ficará a Casa de Força Principal e, no sítio Bela Vista, foi instalado um vertedouro complementar. A projeção da geração de energia máxima é de 11.233 megawatts (MW), entretanto, a produção da usina irá variar ao longo do ano, conforme as oscilações do nível das águas do Rio Xingu, de forma que a produção mínima não deve passar dos 4.751MW. O canal de derivação da usina (o curso d’água formado para levar água do vertedouro para a casa de força principal) será de 130 m de largura, 20 km de extensão e 27 m de profundidade. Fonte: https://www.facebook.com/andreia.sikeira?fref=ts

CONVITE: 

Temos o prazer de convidar para o lançamento do novo filme “Belo Monte: Depois da Inundação” dirigido pelo premiado cineasta Todd Southgate, em co-produção com International Rivers, Amazon Watch e Cultures of Resistance. O filme contou ainda com a colaboração do Instituto Socioambiental - ISA, Greenpeace Brasil, Movimento Xingu Vivo para Sempre e Uma Gota no Oceano.

O lançamento vai acontecer na segunda-feira, 05 de dezembro de 2016, a partir das 19:00 hs, no Auditorio Benedito Coutinho do Centro Universitário IESB, localizado na SGAN, Quadra 609 - Módulo D, L2 Norte, em Brasília.

Narrado pelo ator Marcos Palmeira, Belo Monte: Depois da Inundação conta a história e as consequências de uma das hidrelétricas mais polêmicas do mundo. Através de entrevistas com líderes indígenas, ativistas e moradores locais, o documentário demonstra como esse megaprojeto, que custou mais de $30 bilhões - na sua maior parte financiado com dinheiro público - deixou um legado de violações de direitos humanos e graves danos ambientais na região do baixo Xingu. Ao mesmo tempo, o filme conta a história de lutas dos povos indígenas, movimentos sociais e seus aliados para cobrar justiça e a responsabilização pelos crimes cometidos em Belo Monte, e para evitar a repetição dos mesmos erros na bacia do Tapajós.

O evento de lançamento em Brasília no dia 05/12 vai contar com a seguinte programação:

19:00 hs - Abertura com o violeiro Victor Batista

19:15 hs - Lançamento do livro "Impactos econômicos das construção da hidrelétrica de São Luiz do Tapajós: uma análise do provimento de serviços ecossistêmicos” do Conservation Strategy Fund (apresentacão: Camila Jericó Daminello – CSF)

19:30 hs - Exibição do filme "Belo Monte: Depois da Inundação" com apresentação por Todd Southgate (Diretor e Produtor) e Brent Millikan (International Rivers)

20:30 hs - Debate com a presença de Antônia Melo e Raimunda Silva do Movimento Xingu Vivo para Sempre e outros convidados especiais

21:30 – 22:30hs Coquetel (oferecido pelo Conservation Strategy Fund)

Estamos muito animados com o potencial desse novo filme em contribuir para o debate público sobre um tema da maior importância. Uma versão em inglês do documentário, narrada pelo premiado ator Peter Coyote, está sendo lançada simultaneamente, e versões legendadas em espanhol e francês serão divulgadas em breve!

Logo após o lançamento, o filme será disponibilizado gratuitamente para download e em DVD, junto com um folheto informativo para facilitar a organização de eventos.

A festa vai ser bonita! Aguardamos você no dia 05, a partir das 19s no IESB em Brasília.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se identifique e deixe seu comentário com responsabilidade!!!