segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

'Maior massacre do sistema prisional do AM', diz secretário sobre rebelião, mas de 60 mortos e cerca de 20 decapitados

O secretário de Segurança Pública do Amazonas, Sérgio Fontes, confirmou 60 mortes após a rebelião ocorrida no Complexo Penitenciário Anísio Jobim, no km 8 da BR-174, que liga Manaus a Boa Vista (RR). IMAGENS FORTES: 
A rebelião foi considerada pelo secretário como "o maior massacre do sistema prisional do Amazonas". Ainda não há confirmação oficial do número de fugas, mas a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-AM) chegou a dizer ao G1 que mais de 130 detentos estão foragidos. Atualmente, o Compaj abriga 1.229 detentos. O motim começou no domingo (1º) e terminou na manhã desta segunda-feira (2), após mais de 17 horas. Um inquérito da Polícia Civil foi aberto para apurar o ocorrido. De acordo com Fontes, todos os mortos são integrantes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) e presos por estupro. Até as 10h (horário de Manaus) desta segunda, a secretaria havia contabilizado 60 mortes. O secretário afirmou ainda que uma facção rival comandou a rebelião, que "não havia sido planejada previamente". "Esse foi mais um capítulo da guerra silenciosa e impiedosa do narcotráfico", disse Fontes. O secretário Sérgio Fontes afirmou que integrantes da facção Família do Norte (FDN) comandaram a rebelião. http://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2017/01/maior-massacre-do-sistema-prisional-do-am-diz-secretario-sobre-rebeliao.html

2 comentários:

  1. É esse tipo de gente q os direitos humanos defende, pra certos tipos de crime deveria ter pena de morte no Brasil. Direitos humanos só serve pra vagabundos, pra um cidadão q vive de bem com a sociedade e perde um ente querido da família na mão de um vagabundo não existe direitos humanos, vivemos numa hipocrisia muito grande.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Se identifique e deixe seu comentário com responsabilidade!!!