terça-feira, 19 de março de 2019

Polícias Civil e Militar deflagram operação para prender acusados de integrar grupos de milícia na Grande Belém

MATERIAL APREENDIDO. FOTO: LEANDRO SANTANA (ASCOM PCPA)
Nas primeiras horas da manhã desta segunda-feira, 18, dez pessoas – nove policiais militares presos por mandados de prisão e um preso não policial em flagrante - foram presas.
A Operação Anonymous foi deflagrada pelo Sistema de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Sieds), com a participação de mais de 200 policiais civis e militares e mais de 50 viaturas. Na operação, foram cumpridos 10 mandados de prisão, entre preventivas e temporárias, além de 19 mandados de busca e apreensão.

A operação teve como alvo integrantes de grupos que praticavam crimes em série, com características de execução, na Região Metropolitana de Belém (RMB), envolvendo policiais militares e pessoas civis. Os presos, por mandados de prisão, são oito homens e uma mulher, todos policiais militares da ativa. Destes, oito foram em decorrência dos mandados e uma prisão em flagrante, por porte ilegal de armas.

A operação saiu as ruas por volta das 5:30 da manhã da sede da Delegacia-Geral, em Belém. A operação Anonymous é resultado de três investigações distintas, porém realizadas de forma integrada. O primeiro inquérito começou a ser investigado pela Seccional de Marituba, em 2018, e outros dois pela Seccional de Polícia de Ananindeua, neste ano. Todos eles com o objetivo de investigar grupos organizados que praticavam homicídios em série, com características de execução, cometidos na Região Metropolitana de Belém. Entre os objetos encontrados com os suspeitos, estavam armamentos que não pertenciam à corporação militar, como fuzil e escopeta, além de equipamentos tecnológicos de rastreamento e um drone. Os materiais apreendidos serão periciados para verificar se possuem ou não ligação com os crimes investigados.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se identifique e deixe seu comentário com responsabilidade!!!